O Brasil está coalhado de gente disposta a sacrifícios para levá-lo à prosperidade e justiça (quanta ironia, João Ubaldo!)

Se aparecer um concurso para escritor ou cronista que seja um Mestre em Ironia, eu já tenho – na ponta da língua – o meu candidato: João Ubaldo Ribeiro.

E ele se superou na crônica “O futuro em boas mãos”, publicada no Estadão (jornal O Estado de São Paulo) de 03/03/13, sobre a política brasileira.

Endeusou a classe política para provocar o leitor, e inverter a interpretação.

Transcrevo o parágrafo de abertura, criativíssimo e cômico:

Como estamos vendo nos noticiários, a campanha eleitoral já começou. Acho um pouco cedo, mas o pessoal fica nervoso com a disputa e a ansiedade parece ser geral. A política, o governo e a administração do Estado são das mais nobres atividades a que o cidadão pode entregar-se, pois se trata de um admirável exercício de altruísmo, amor à coletividade e ao semelhante, de nobre renúncia a interesses subalternos e vantagens indevidas e até mesmo a projetos pessoais. O homem público epitoma a virtude, não no sentido piegas que estamos acostumados a associar a esta palavra, mas na dedicação resoluta e firme ao bem público e às aspirações e direitos dos governados, numa vida cuja maior recompensa será o zeloso cumprimento dessa missão e nada mais. E o Brasil está coalhado de gente disposta a sacrifícios extremos para servir ao país e levá-lo a um futuro de prosperidade, justiça, segurança e felicidade.

E indico a leitura completa; o texto pode ser acessado clicandoaqui.

Anúncios