O primeiro sucesso de Gabriel, o Pensador, em 1992, falava no assassinato do Presidente Collor

Aos 38 anos de idade, o cantor Gabriel, o Pensador, não consegue manter sua carreira no nível que se prenunciou quando alcançou as paradas de sucesso, aos 20 e poucos anos.

Ele era, então, uma novidade, mas também um estranho no ninho: branco, classe média, filho de uma jornalista importante, cantando uma música que tinha e tem os negros pobres como seu grande público consumidor.

A identificação cultural é essencial no mundo das artes, e aí Gabriel selou o seu destino profissional; segue trabalhando, mas com horizontes limitados.

A mãe Belisa Ribeiro já foi repórter e âncora de destaque no jornalismo dos anos 1980; afunilou a carreira quando topou trabalhar na campanha do então candidato Fernando Collor à presidência da república.

Deixou a equipe atirando: alegou discordar da decisão de Leopoldo Collor – o irmão mais velho do candidato – que contratou uma ex-namorada de Lula para “denunciar” que ele tentou induzi-la a abortar.

Dois anos depois, o filho Gabriel conseguiu gravar seu primeiro sucesso: Hoje Eu Tô Feliz (matei O Presidente). Fernando Collor era o alvo da música e do hipotético atentado.

Uma interpretação largamente difundida foi a de que a música do filho foi a vingança de Belisa pela traumática saída da equipe de Collor; na época acreditei piamente na história, mas o mais provável é que tenha sido um ato pessoal de um jovem revoltado com a corrupção política.

A música é bem característica de um garotão, de um iniciante: agressiva, direta, sem sutilezas. Chegou a ser censurada pelo governo.

Selecionei, abaixo, algumas impressionantes estrofes em que o sonho de um menino rebelde, revoltado, agressivo, era matar o símbolo da corrupção política no Brasil de 1992, o próprio presidente da república, Fernando Collor de Mello.

Elas foram extraídas de vários trechos da longuíssima música, mas dispenso o indicativo de intervalo pois ficou até parecendo uma sequência natural:

É tua primeira música, de 1992, tá cuspindo no prato que comeu?

Encontrei ele e a mulher na rua, não resisti. Peguei um pedaço de pau que tava no chão e aí…

Atirei o pau no rato

mas o rato não morreu

Dona Rosane admirou-se

com o ferrão, o três oitão que apareceu!!!

Todo mundo bateu palma quando o corpo caiu

eu acabava de matar o presidente do Brasil!

ah Dona Rosane

mas se você quer saber

porque eu matei o Fernandinho

presta atenção

sua puta!

escuta direitinho

ele ganhou a eleição

e se esqueceu do povão

e uma coisa que eu não admito é traição

prometeu, prometeu,

prometeu e não cumpriu

então eu fuzilei

vai pra puta que o pariu

Alegria, tudo em paz

e ninguém vai bloquear nosso dinheiro

nunca mais

No dia 29/12/92 Collor tornou-se o único presidente cassado na história da república brasileira, mas agora ostenta o importante cargo de senador, eleito por mais de meio milhão de pessoas que mostraram ter o sentimento de cidadania obstruído pelo manto da ignorância, ou por interesses escusos.

Para acesso à caudalosa letra de Gabriel usei um site especializado, que pode ser conferido clicandoaqui.

Belisa montou um bom site; na biografia conta que nasceu em 1955, teve o filho Gabriel aos 19 anos e passou por um câncer em 2010. Para acessar, cliqueaqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: