Caiu na rede-internet, já era… (uma lição para Carolina Dieckmann)

Depois de recusar, por vários anos, a fazer ensaios fotográficos nua para a revista Playboy ou para as concorrentes, em maio deste 2012 a atriz global Carolina Dieckmann teve um monte de fotos divulgadas clandestinamente pela internet.

Pelada e de graça.

Contratou um advogado especializado em auto marketing, Antônio Carlos de Almeida ‘Kakay’ Castro, que logo convocou a imprensa e informou que, dois meses antes, o computador dela esteve numa empresa de assistência técnica.

Praticamente sugeriu que algum técnico de lá era o responsável; felizmente a mídia não divulgou o nome da empresa pois pouco depois a polícia descobriu que os culpados eram hackers que invadiram o e-mail.

Os invasores não estavam apenas fascinados com o seu belo corpo, pois chantagearam a atriz em 10 mil reais para evitar a divulgação das fotos. Ela não pagou e acionou a polícia.

Seu advogado é um personagem útil para a mídia, pois consegue atrair tanta atenção quanto o próprio assunto: cinquentão, uma juba de cabelos brancos e pretos mesclados, sempre à disposição dos jornalistas. Já tinha o apelido de “advogado das estrelas”.

Em entrevista – não me recordo onde – ele confessou que o caso da escultural atriz era bom para a sua imagem, normalmente vinculada a criminosos, área de sua atuação profissional.

Na mesma época era ele o advogado do senador Demóstenes Torres, que acabou cassado por corrupção dois meses depois.

Uma de suas ações – no caso de Carolina – não passou de artifício publicitário: anunciou que ia processar os sites que estavam divulgando as fotos, inclusive o próprio Google.

Uma pretensão inútil: como disse meu sobrinho cibernético, caiu na rede, já era…

E parece que já desistiu do intento mas, mesmo que pegasse algum pra Cristo, pouco ia adiantar, pois basta que uma imagem importante fique algum tempo na internet para que milhares de usuários fazem download e guardem cópias dos arquivos.

Afinal, o sexo é, comprovadamente, o tema mais popular da grande rede.

Por isso, recomendo aos curiosos dotados de paciência (existe algum?) que esperem um pouco para procurar aquelas fotos fuleiras de câmera de celular, pois vai ser mais fácil, sem riscos.

A bela Carolina deve estar arrependida de não ter tirado a roupa para algum fotógrafo famoso, a mando da Playboy, anos atrás.

Só adiou a democratização do seu corpo e ainda ficou sem um cheque gordo.

E não vou procurar as fotos da lourinha magrelinha para postar no meu blog, pois não quero receber ameaças do Doutor Kakay.

Quem estiver interessado, é só procurar no Google, pois o advogado-marqueteiro não vai conseguir arrancar as imagens da grande rede virtual mundial.

E completo com a indicação de uma fonte que usei para basear estes comentários, um post publicado no blog do jornalista Josias de Souza; para acessá-lo, cliqueaqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: