Fernando Gabeira já foi punido em 2010 por ter denunciado a Construtora Delta, de Fernando Cavendish

O jornalista, depois político, agora novamente jornalista Fernando Gabeira escreveu um artigo elucidativo sobre as vinculações da Construtora Delta com o poder.

(Ela é peça chave da CPI do Cachoeira, em curso no Congresso Nacional no final de maio de 2012, quando escrevo).

O artigo é O fator Delta, publicado n’O Estado de São Paulo, 27/04/2012.

Começa com uma criativa metáfora aquática: “No princípio, alguns políticos queriam excluir a Delta da CPI do Cachoeira. Desistiram. Era como arrancar o delta do alfabeto grego. Depois se falou em concentrar as investigações no eixo Brasília-Goiás. Mas o delta é foz de um rio com muitos braços e canais. Acidente geográfico, a Delta está no Rio de Janeiro. Da cachoeira à foz, deságua num imenso mar de dúvidas”.

Relembra as informações divulgadas sobre o modus operandi da construtora na obtenção de obras públicas no Estado do Rio de Janeiro: “O vice de Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão, afirmou que o segredo do sucesso da Delta era sua agressividade, traduzida em preços mais baixos. Mas a tática da Delta, de acordo com quem entende de licitações, era vencer com preço baixo e correr atrás dos aditivos que eram acrescentados ao valor inicial do projeto. Em alguns casos, de 300%!”.

À frente fala das vinculações do dono da Delta com o governador Sérgio Cabral, o que inclui viagens conjuntas ao exterior: “Como jornalista, é preciso reconhecer que a imprensa não se interessou pelas constantes viagens de Cabral, provavelmente com família, babás, caros hotéis no exterior. No meu tempo de jovem repórter, isso era notícia. Agora é só uma ironia aqui e ali, piada. Mas notícia mesmo, texto e fotos, nada apareceu ao longo dos seis anos em que Cabral descobriu o mundo.”.

Cita outro vínculo alarmante: “com os serviços profissionais do ex-ministro José Dirceu, exportaram sua energia positiva para o Planalto: a Delta transformou-se na grande empreiteira do PAC”.

E poderia fechar com o clássico “e não digam que eu não avisei”: “Em 2010, quando denunciei os laços de Cabral com Cavendish, o TRE-RJ tirou o programa do ar e mais tarde me condenou a pagar multa. Recorri, por meio do advogado do partido. Era só o que faltava, derrotado na eleição, não tinha como pagar multa.”.

Para acesso ao inteiro teor do artigo, cliqueaqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: