Berlusconi, um Primeiro-Ministro tarado e venerado pelos italianos inconsequentes

Líderes políticos exóticos são comuns nos países do chamado Terceiro Mundo, mas exceção em países evoluídos.

A moderna Itália fez sua concessão ao exotismo através de Silvio Berlusconi, que encerrou (por renúncia) seu terceiro mandato não consecutivo de Primeiro Ministro em 12 de novembro de 2011.

Protagonizou escândalos sexuais, gafes de etiqueta e comentários preconceituosos, mas ficou firme no poder até que a Itália começou a sofrer reflexos da crise econômica europeia.

Teve críticos duríssimos, como o filósofo italiano Paolo Flores d’Arcais (ex-professor da Universidade de Roma La Sapienza e hoje diretor da revista MicroMega), entrevistado pelo repórter Christian Carvalho Cruz no caderno Aliás, de O Estado de São Paulo, edição de 20/02/2011.

O ataque mais contundente apareceu na resposta à seguinte pergunta: “Pesquisas mostram Berlusconi com 30% de aprovação. Quem são esses 30%?“.

E Paolo d’Arcais atirou forte, pesado: “Os mafiosos, os corruptos, os sonegadores de impostos, os racistas, os amigos dos mafiosos, os amigos dos corruptos e os amigos dos sonegadores de impostos. E ainda muitos outros que se condicionam pelo controle quase totalitário que Berlusconi exerce na TV. Noventa por cento dos italianos não leem jornal. Portanto, nem sequer sabem das coisas que estamos discutindo aqui. Sabem apenas que “Berlusconi é perseguido porque gosta de mulheres”. É essa Itália que elegeu Berlusconi mais de uma vez. E com ajuda de uma centro-esquerda que tem os dirigentes mais estúpidos que já vimos: culturalmente submissos, politicamente tímidos e até corruptos, embora em proporção infinitamente menor do que os políticos berlusconianos.

O entrevistado fez uma terrível lista dos problemas que afetavam a Itália naquele início de 2011: “a crise econômica, os desembarques dos clandestinos tunisianos na costa, o gigantesco desemprego dos jovens, o aumento da desigualdade, o colapso da escola pública e da pesquisa científica, a força crescente da máfia, a ruína do patrimônio artístico e ambiental. Nosso setor industrial mostra sinais graves de crise. Aquela que há um século é a mais importante empresa italiana, a Fiat, está se tornando filial da Chrysler”.

Extraio, ainda, uma análise sobre a influência da Igreja Católica:

OESP – Qual o peso do catolicismo na vida dos italianos? Os ventos conservadores que ajudaram a eleger Berlusconi eram ecos vindos do Vaticano de Bento XVI?

Paolo d’Arcais — A Igreja tem pouco peso para os italianos hoje. Nem os católicos praticantes seguem os ditames do papa, nem na política nem na moral sexual. Mas a Igreja tem um enorme poder no establishment político, financeiro, cultural, econômico, escolar e, por sua vez, ajuda a parte mais atrasada desse establishment. O papa fez alusões genéricas e quase imperceptíveis em relação a Berlusconi. Não o criticou. A Igreja continua a apoiá-lo, porque em troca obtém as leis que lhe vêm a calhar. Afinal, de cada 1.000 que os italianos pagam em impostos, 8 vão para as religiões – na prática, quase tudo para a Igreja. Bispos nomeiam os professores de religião nas escolas públicas. Mesmo as atividades econômicas indiretamente ligadas à Igreja gozam de grandes isenções fiscais, grande parte do sistema hospitalar é controlada pelo poder clerical, também fortíssimo no sistema bancário.

Para acesso ao inteiro teor da entrevista, cliqueaqui.

E abaixo estampo uma foto que correu mundo: Berlusconi aparentemente maravilhado com o corpo da nadadora Federica Pellegrini, medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Pequim (2008).

Um especialista em fotografias certamente dirá que uma imagem bidimensional não permite a certeza de que Berlusconi estivesse realmente olhando para a moça e não para algum foco próximo mas, com o passado dele, quem acredita?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: